Quando uma dívida vai para o cartório, o que acontece?

O planejamento financeiro é a melhor forma de não se endividar e manter a vida financeira saudável. Contudo, mesmo reconhecendo a situação atual das suas finanças e traçando rotas para manter as contas em dia, dívidas podem aparecer. Nesse caso, vamos explicar o que acontece quando uma dívida vai para cartório.

Independentemente do motivo que levou à dívida, como desemprego, nascimento de um filho ou surgimento de uma doença, passar a ser um devedor pode trazer sérias consequências. Se não negociar uma dívida, o débito pode ser protestado e enviado para o cartório.

Quando uma dívida vai para cartório, o que acontece? Neste post, vamos esclarecer o que é protesto em cartório, quais são os impedimentos, como regularizar a dívida e as maneiras de evitar esse tipo de situação. Confira!

O que é o protesto em cartório?

Quando você deve para uma empresa ou pessoa e não realiza o pagamento na data correta, dá ao credor o direito de registrar o débito no cartório. Esse registro se chama “protesto” e acontece nos tabelionatos de protesto de dívida.

Quando há um protesto em cartório, acontece a cobrança judicial do débito por meio de uma notificação, que apresenta ao devedor o valor da dívida e informa que ela não foi quitada. Se notificado pelo cartório, você pode sofrer consequências, como o andamento de uma ação judicial.

Quais impedimentos?

As dívidas mais comuns de serem protestadas se referem a folhas de cheque sem fundos, boletos em aberto, carnês de lojas, contrato de aluguel e de prestação de serviços, notas promissórias e decisões judiciais não cumpridas.

Ter uma dívida protestada pode gerar impedimentos, principalmente por deixar seu nome sujo. Isso acontece porque a informação do inadimplemento do débito é enviada para o Serasa Experian, SPC Brasil e Boa Vista SCPC. Dessa forma, você é impedido de realizar compras comerciais e contratações com bancos, o que torna muito difícil conseguir um empréstimo pessoal ou crédito pré-aprovado.

Como regularizar a dívida no cartório?

Para se livrar de protesto, o primeiro passo é procurar o credor e quitar o débito ou renegociar a dívida. Quando terminar o pagamento, vá ao cartório com o comprovante de pagamento e solicite o cancelamento do protesto, pagando as custas cartoriais, que variam de acordo com o valor do título e do cartório em que está localizado.

Em seguida, você precisa aguardar o cartório notificar os sistemas de proteção ao crédito, SPC, Serasa e Boa Vista, para que eles também retirem as restrições lançadas e deixem seu nome “limpo”. Assim como as demais dívidas, o protesto prescreve em 5 anos, com o devedor saindo da lista de inadimplente.

O que fazer para evitar essa situação?

Para evitar que a situação da dívida evolua e se torne um protesto, busque meios de cumprir o pagamento. Caso não consiga negociar, faça um empréstimo. Recomendamos o home equity, um crédito que usa um imóvel como garantia.

O home equity é um crédito pessoal. Logo, pode ser usado para qualquer finalizada, inclusive pagar contas. Além disso, seus juros são cerca de 2% ao mês, mais baixos que os demais empréstimos, e podem ser pagos entre 24 a 80 prestações.

Assim, você consegue resolver o problema, evitando que suas contas cresçam e vão para o cartório. Como vimos, quando uma dívida vai para o cartório, o que acontece é que seu nome fica “sujo” e cheio de restrições. Para se livrar do título de mau pagador, quite o débito. Se estiver sem dinheiro, invista no home equity e resolva sua situação financeira!

O que achou deste post? Fique com a gente e leia sobre o home equity!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Close Bitnami banner
Bitnami