O que é a Taxa Selic e o que ela influencia no financiamento imobiliário

Assistindo aos jornais, na roda de amigos ou durante pesquisas na internet, você já deve ter se perguntado o que é a Taxa Selic. Por se tratar de um termo técnico, é muito comum acreditarmos que se trata de algo complexo, que nunca conseguiríamos entender. 

Para quem pretende adquirir um imóvel, é ainda mais importante saber o que é. Isso porque ela influencia diretamente o financiamento imobiliário e os empréstimos no geral. Por consequência, ela interfere na compra de casas ou apartamentos.

O assunto é importante. Entretanto, grande parte dos brasileiros a desconhecem. Por essa razão, fizemos este post, a fim de esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto. Confira!

O que é a Taxa Selic?

A Taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) refere-se à taxa básica de juros da economia brasileira, responsável por regular a taxação em todos os bancos do Brasil. Ela é utilizada em diferentes transações bancárias, como empréstimos, financiamentos e aplicações em títulos públicos.

Cabe ressaltar que essa taxa não possui um valor fixo, pois ocorrem novas definições sobre ela a cada 45 dias. Esse é o intervalo de tempo que o Copom (Comitê de Política Monetária) reúne para definir uma possível variação na Taxa Selic.

Para que serve a Taxa Selic?

Agora que você já sabe o que é a Taxa Selic, vamos explicar para que serve esse índice. 

Por se tratar da taxa básica de juros, a Selic é utilizada para diversas finalidades na economia brasileira, mas a principal delas é garantir a estabilidade econômica e controle do preço dos produtos. Isso porque ela age sobre as demais taxas do Brasil, inclusive na inflação.

Por influenciar outras taxas do país, a Taxa Selic pode facilitar ou dificultar o acesso ao crédito, pois os bancos são regulados por ela e podem oferecer empréstimos ou financiamento com juros menores ou maiores. 

Quanto menor os juros, maior o incentivo à aquisição de crédito pela população. Caso os juros estejam altos, é menor a oferta do crédito.

Como a Taxa Selic é determinada?

Basicamente, a Taxa Selic é determinada de acordo com a necessidade da economia, tendo em vista que, quando o Governo Federal deseja frear a inflação, essa taxa é aumentada.

Aumentando a taxa de juros, a tendência é que as pessoas comprem menos, obrigando a diminuição dos preços dos produtos e serviços pelo mercado para não comprometer o consumo e a venda desses insumos.

Por outro lado, ao reduzir a Selic, o governo impulsiona o consumo e aquece a economia, incentivando a movimentação do dinheiro para que ele não fique parado em contas bancárias.

Quais são os reflexos da Taxa Selic no financiamento imobiliário?

Para quem está se perguntando o que é a Taxa Selic, é importante entender também o reflexo desse índice no financiamento imobiliário. A Selic afeta diretamente o mercado imobiliário, em especial na compra e venda de imóveis. 

Quando o Copom aumenta essa taxa de juros, há uma redução no valor da propriedade. Entretanto, o valor do financiamento imobiliário pode ser maior. Logo, ele acompanha o movimento da Taxa Selic, subindo ou diminuindo com ela.

Por outro lado, quando o Copom reduz a taxa, o mercado imobiliário reaquece, gerando novas oportunidades de negócios, já que o financiamento imobiliário ficará mais barato.

Aumento da Taxa Selic: e agora, como fica o meu financiamento?

Você deve ter visto na televisão ou em portais de notícia que, recentemente, houve um novo aumento da Taxa Selic. No final de setembro, o Copom elevou a taxa para 6,25% ao ano – quinta alta consecutiva. Até o final de 2021, especialistas calculam que a taxa deve subir ainda mais, ficando em torno de 7%.

Apesar desse aumento, saiba que ainda é viável contratar e seguir com o pagamento do seu financiamento imobiliário. A vantagem ainda existe porque, apesar do aumento da Taxa Selic, os juros de financiamento imobiliário seguem em patamares historicamente baixos. 

Quais os melhores investimentos observando a Taxa Selic?

Outro assunto que deve estar no radar de quem quer saber mais sobre o que é a Taxa Selic são os investimentos. Isso porque ela também influencia na rentabilidade das suas aplicações. 

Veja, a seguir, os principais investimentos observando a Taxa Selic!

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é a aplicação de renda fixa com títulos emitidos pelo Governo Federal preferido pelos investidores. O funcionamento dele é muito simples: você compra o título de dívida pública, para receber o valor com juros, na data de vencimento, definida no momento da compra.

O valor dos títulos públicos do Tesouro Direto varia diariamente. Contudo, diferente do crédito, que se torna menos vantajoso com a alta da Selic, o Tesouro Direto fica mais caro e assegura uma rentabilidade alta para seus investidores.

Quando a Taxa Selic fica alta, os bancos aplicam juros baixos e os títulos públicos tornam-se valorizados. Entretanto, nem sempre a queda da Selic garante a valorização do Tesouro Direto, pois ele segue um mercado próprio, que acaba se sobrepondo às expectativas econômicas do país.

Poupança

A poupança é um investimento de renda fixa mais comum e acessível para toda a população. Qualquer pessoa pode fazê-lo, desde que compareça em um banco, portando seus documentos pessoais, e abra uma conta poupança, para guardar dinheiro e aguardar sua rentabilidade.

Os rendimentos da poupança também vão ser influenciados pela Taxa Selic, isso porque quanto mais baixa, menos a poupança vai pagar. A rentabilidade acompanha a Selic, diminuindo com sua queda ou aumentando com sua ascensão.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

O CDB é parecido com o Tesouro Direto, com a diferença de que é um título de renda fixa emitido pelos bancos. É de fácil investimento e qualquer pessoa pode aplicar seu dinheiro em CDB, sendo que você empresta dinheiro à instituição financeira, que vai devolvê-lo com juros.

A taxa de juros do investimento segue o Certificado de Depósito Interbancário (CDI) como referência. A rentabilidade do CDB é determinada pelo percentual do CDI, que, por sua vez, relaciona-se com a Taxa Selic.

O CDI segue a Selic de perto, apesar de serem diferentes, uma vez que o CDI incide somente nos empréstimos entre os bancos e a Taxa Selic é estabelecida pelo Governo Federal, para remunerar quem adquire títulos públicos.

Imóveis

Como dito, a Taxa Selic influencia o mercado imobiliário. Isso porque, quando a taxa está baixa, os financiamentos imobiliários tornam-se vantajosos e permite que muitas pessoas adquiram um imóvel.

No entanto, a alta da Selic pode beneficiar a venda à vista de imóveis, já que os bancos e construtoras podem conceder descontos ou outros benefícios.

Dessa forma, se você tem interesse em investir em imóveis, um tipo de aplicação segura e durável, acompanhe as atualizações da Selic e veja qual o momento ideal para realizar compras de propriedade, conforme seu perfil de investidor.

Como acompanhar as atualizações da Taxa Selic?

Além de entender o que é a Taxa Selic, é importante que você acompanhe as suas variações. Para isso, leia e assista os principais jornais voltados à economia, seguindo-os nas redes sociais e assinando sua newsletter.

Você também pode comprar livros ou cursos referentes ao mercado financeiro e investimentos. Ainda, é possível contratar um consultor de investimentos ou uma empresa especializada em crédito imobiliário, como a Credihome, que vai lhe assessorar da melhor forma durante as variações da Taxa Selic.

Afinal, entender o que é a Taxa Selic é fundamental para quem deseja realizar um bom financiamento imobiliário. E você pode contar sempre com a gente para ter tranquilidade na hora de financiar a casa própria.

Se esse post te ajudou, não deixe de conferir outros conteúdos que publicamos por aqui:

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Share via
Copy link
Powered by Social Snap