5 etapas do processo de financiamento imobiliário

Ter a casa própria é o sonho da maioria dos brasileiros. Para realizá-lo, normalmente a compra é feita por meio de financiamento, um tipo de crédito concedido pelos bancos para pagar a moradia, que será pago em até 35 prestações acrescidas de juros.

Para conseguir o valor emprestado, é necessário que você conheça cada etapa do processo de financiamento, sabendo o que precisa ser analisado para ter crédito aprovado. Entender os trâmites burocráticos e documentos necessários é essencial para evitar erros e dor de cabeça.

Quer saber como funciona o financiamento imobiliário? Fique conosco e leia sobre as etapas do seu processo!

Condições do financiamento

Cada banco costuma ter suas condições específicas. Contudo, a regra é que seja paga uma entrada e o restante do valor dividido em prestações, que serão acrescidas de juros, serviços administrativos e seguros. Veja os elementos acrescidos em cada parcela!

Juros

É um percentual cobrado pelo uso do crédito, compensando o credor pelo tempo que ficar sem utilizar o valor que emprestou ou risco do investimento. É adicionado ao valor total do financiamento e acaba influenciando o tempo em que o empréstimo será pago.

Nos financiamentos costumam incidir juros compensatórios e de mora. Os juros compensatórios são pagos obrigatoriamente a título de remuneração ao credor e estabelecidos antes de concretizar a negociação.

Os juros de mora somente incidem quando há atraso nas prestações do financiamento ou quebra contratual. Ressalta-se que sua taxa pode variar de acordo com o banco. Por isso pesquise em todas as instituições financeiras.

Serviços administrativos

Também conhecido como taxa de administração, é uma tarifa cobrada pelos bancos para manutenção e gestão do financiamento, tendo em vista os gastos da instituição financeira com cobranças ou notificações.

Seguros

Todo financiamento deve ter obrigatoriamente dois seguros, de danos físicos do imóvel (DFI), morte e invalidez permanente (MIP). O seguro de danos físicos do imóvel cobre incêndios, tempestades, chuvas de granizo, vendavais, explosões, raios, entre outros.

Por sua vez, o seguro de morte e invalidez permanente assegura que o financiamento seja quitado, mesmo se o cliente falecer ou se tornar incapacitado para o trabalho. Seu valor varia de acordo com a idade do contratante e é recalculado todo mês.

Etapas do processo de financiamento imobiliário

Cada financiamento é único, por considerar algumas variáveis, tais como: preço do imóvel, tipo de financiamento, instituição financeira escolhida, valor da entrada e prestação mensal. No entanto, as etapas do processo de financiamento são as mesmas para todos os clientes. Conheça as 5 fases a seguir!

1. Análise de crédito

Considerada a fase inicial, a análise de crédito é realizada pelo banco, que examina os dados do futuro cliente, como seu perfil, idade, renda e bens em sua titularidade, bem como prazo para pagamento do financiamento. Ainda, será analisada o valor e características do imóvel. Entre os documentos, apresente:

  • CPF (cadastro de pessoa física);
  • CI (carteira de identidade);
  • certidão de nascimento
  • certidão de casamento. Se divorciado, certidão com averbação do divórcio;
  • escritura de união estável, caso tenha companheiro;
  • comprovante de endereço;
  • comprovante de renda e dados sobre a profissão.

Todas as informações devem ser listadas na proposta de crédito enviada ao banco, junto da documentação necessária, que vai verificar sua capacidade de pagamento e a viabilidade da concessão do crédito. O prazo para que tudo isso seja feito varia de banco para banco, mas a estimativa é de até 5 dias úteis.

2. Escolha e avaliação de imóvel

Aprovado a sua análise de crédito, é hora de decidir o imóvel que deseja adquirir. O ideal é ter três ou mais opções de propriedades para escolher, já que pode acontecer algum problema com documentação ou diferenças nas condições de financiamento oferecidas para cada uma.

Assim que o imóvel for definido, a sua documentação deve ser entregue ao banco, a fim de verificar a qualidade da casa, por meio de uma vistoria agendada, dirigida por um engenheiro ou arquiteto.

A avaliação do imóvel determina o real valor do imóvel, se está ou não de acordo com o mercado imobiliário. Não havendo problemas, é feito um laudo relatando a qualidade da moradia, mostrando se financiá-lo é um bom negócio. Se tudo correto, inicia-se a próxima etapa.

3. Análise jurídica e elaboração do contrato

Recebendo o laudo, o banco faz a análise jurídica de toda documentação, com o fito de trazer segurança para negociação e preservar os envolvidos de problemas futuros. Caso necessário, outros documentos podem ser pedidos, para assegurar a transação.

Estando correta a documentação, a instituição financeira elabora um contrato, formalizando a concessão do financiamento. Porém, nessa fase, o banco pode convidá-lo para um breve entrevista, para comprovar que você é realmente confiável.

4. Assinatura do contrato e registro em cartório

Terminada a parte burocrática, você é notificado para assinar o contrato junto do responsável pelo banco, em data e hora agendadas. Também é preciso pagar uma taxa, para que o documento assinado seja enviado ao cartório.

É emitida a guia do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e faz-se o levantamento dos custos cartoriais. Tudo pago, o contrato é levado ao Tabelionato, que fará o registro na matrícula do imóvel, dando publicidade a aquisição e alienação fiduciária, que vai existir até que o financiamento seja quitado integralmente.

5. Finalização do processo e liberação do valor do financiamento

Para finalizar o processo, é preciso enviar ao banco uma via do contrato devidamente registrado e matrícula do imóvel, confirmando que já foi lançada a alienação fiduciária. Assim que recebido, a instituição financeira tem prazo de 3 a 5 dias úteis para liberar o valor do crédito solicitado, realizado por meio de depósito em conta bancária, quando correntista, ou por DOC, se cliente de outra instituição.

Portanto, é primordial manter a atenção em cada etapa do processo de financiamento, para que não haja erros. Caso faltem documentos ou informações, toda a concessão do crédito pode ser atrasada ou adiar definitivamente a concretização do sonho da casa própria. Lembre-se que as burocracias são para garantir a segurança das partes envolvidas na transação imobiliária e evitar problemas futuros.

Gostou do post? Então, compartilhe em suas redes sociais e ajude seus amigos a ficarem informados!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Share via
Copy link
Powered by Social Snap