3 dicas de como quitar a sua dívida de condomínio

Perder o emprego, assumir contas altas ou deparar-se com problemas familiares inesperados — tudo isso pode contribuir para que a nossa situação financeira se complique e fazer com que tenhamos que atrasar o pagamento de alguns débitos. Claro que essa é uma situação difícil e até nos coloca em uma posição constrangedora, pois pode interferir na vida de outras pessoas. É o caso da dívida de condomínio.

Mas, apesar de parecer impossível resolver o problema quando estamos no meio dele, é preciso ter calma. Assim, você conseguirá enxergar uma “luz no fim do túnel” e perceber que há algumas formas de quitar os seus débitos com tranquilidade e sem prejudicar ainda mais o orçamento familiar.

Quer uma ajuda para isso? É o que você encontrará neste post. Trouxemos, para você, algumas dicas a fim de encontrar caminhos de quitar a sua dívida de condomínio, acertar a sua vida financeira e respirar mais tranquilamente. Confira a seguir.

Saiba por que você deve quitar a sua dívida de condomínio o quanto antes

Muitas vezes, as pessoas acabam por deixar o boleto de condomínio de lado nos momentos de aperto financeiro por acharem que essa é uma dívida que não causará tantos problemas. Porém, esse pode ser um engano e pode levar, até mesmo, à perda do imóvel. Por isso, quando estamos em uma situação difícil, o ideal é que a dívida de condomínio seja quitada o quanto antes.

Isso porque o novo Código de Processo Civil (CPC) fez com que as ações passassem a ser resolvidas mais rapidamente na Justiça, o que dá um senso de urgência a essa questão. O processo facilitado, inclusive, acabou levando a um aumento no número de ações judiciais sobre o tema.

No Rio de Janeiro, por exemplo, nos seis primeiros meses de 2018, houve um acréscimo de 3,59% na quantidade de processos relativos à dívida de condomínio, em relação ao mesmo período do ano anterior. Foram ajuizadas mais de 7 mil ações de inadimplência, 249 a mais do que em 2017.

Consequências

O resultado desses processos pode ser devastador para quem está em débito com o condomínio. Isso porque, dependendo do juiz, a consequência pode ser a penhora do imóvel ou, se a dívida não for quitada, o bem pode ser levado a leilão.

A cobrança da taxa de condomínio é um dever do síndico, já que, com isso, ele pode ter problemas para pagar as despesas coletivas, como folha de pagamento dos funcionários e empresas terceirizadas, manutenção predial, entre outras. Além disso, os demais condôminos acabam tendo que assumir esses custos, elevando a taxa mensal para cobrir os furos dos inadimplentes.

Veja 3 dicas para resolver esse problema com tranquilidade

Sabendo das consequências graves que apontamos, deu para perceber a importância de acertar a dívida de condomínio, não é mesmo? No entanto, há formas de fazer isso sem prejudicar ainda mais o seu orçamento doméstico, aliviando as suas dores de cabeça e melhorando a sua relação com os demais condôminos. Veja nossas 3 dicas e comece a se preparar para quitar os seus débitos.

1. Analise a sua situação financeira

Antes de tudo, é essencial que você faça uma boa avaliação da situação financeira. Para isso, é preciso colocar, em um papel (ou em uma planilha ou aplicativo), o valor total das suas dívidas, quem são os credores, quais são os juros e as multas cobradas e há quanto tempo você está em débito. Nesse diagnóstico, é importante não deixar nenhuma informação de lado.

Depois de anotar tudo, organize as suas finanças, com dados sobre os recursos que entram e que saem por mês. Procure dispor as informações de forma detalhada, incluindo as despesas variáveis e fixas. Assim, você poderá ter uma noção mais clara de como gasta o seu dinheiro.

O próximo passo é verificar onde poderão ser promovidos cortes no seu orçamento. Veja quais são os pagamentos não essenciais e aqueles que podem ser reduzidos. Entre eles, você pode procurar planos mais baratos de internet ou de TV a cabo, pode reduzir as despesas com alimentação fora de casa, entre outros. Lembre-se de que essas são medidas para que seja possível quitar as suas dívidas e ter mais tranquilidade no futuro.

2. Procure formas de renegociação

Após fazer toda a análise da sua situação financeira, você terá como avaliar quanto poderá pagar por mês para quitar a sua dívida de condomínio. Com essa informação em mãos, será possível fazer uma proposta ao síndico, renegociando a forma de pagamento dos valores.

Se você consegue pagar o valor total da dívida à vista, por exemplo, verifique a possibilidade de reduzir ou, até mesmo, eliminar os juros e as multas envolvidos no processo. Uma boa conversa, expondo a situação com transparência quanto às suas possibilidades financeiras, pode ajudar a resolver a situação de uma forma vantajosa para ambos os lados.

3. Busque crédito no mercado

Muitas vezes, os juros e as multas cobrados de quem está com dívida de condomínio são muito altos e vão piorando conforme passam os meses, transformando o débito em uma bola de neve que só cresce. Por isso, vale a pena estudar o mercado e verificar outras possibilidades.

Pense em buscar crédito e fazer um empréstimo para a quitação da sua dívida, com melhores condições de pagamento e taxas de juros mais vantajosas. Assim, você estará livre dos riscos envolvidos em uma ação judicial de cobrança do condomínio, que pode levar à perda do imóvel.

Conheça as soluções oferecidas pela CrediHome

A CrediHome é uma startup que começou as suas atividades em 2018 e oferece alternativas inovadoras de crédito com garantia de imóvel. Ela pode ser usada tanto pelas pessoas que desejam comprar um imóvel quanto por quem busca um financiamento mais barato para a aquisição do segundo bem. Suas operações são feitas de forma flexível, online, sem burocracia e com transparência.

Para quem tem uma dívida de condomínio, a CrediHome oferece o serviço Condomínio Garantido — uma modalidade de crédito com garantia de imóvel. Trata-se de um financiamento para quem quer ficar em dia com a taxa condominial, deixando de lado as multas e os juros elevados por atraso, além dos riscos de perder o bem.

Veja como funciona:

  • o imóvel é usado como garantia;
  • a quitação pode ser antecipada;
  • o prazo de pagamento é de até 15 anos;
  • a amortização é feita por Tabela Price;
  • os juros são de 1,32% ao mês;
  • a liberação dos recursos é feita direto para o condomínio.

Livrar-se da dívida de condomínio tirará um grande peso das suas costas, por eliminar os riscos de ter problemas para manter o seu imóvel. Ao usar o financiamento do débito por meio da CrediHome, você contará com juros mais baixos, além de evitar constrangimentos com os demais condôminos.

Ficou interessado na solução Condomínio Garantido? Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Share via
Copy link
Powered by Social Snap