Afinal, como funciona a amortização do financiamento imobiliário?

A amortização do financiamento imobiliário visa acelerar o pagamento das parcelas de um bem, fazendo com que os clientes quitem as prestações da casa própria mais rapidamente. Podemos afirmar, portanto, que isso auxilia na concretização do seu sonho de ter uma casa própria.

Essa prática é muito útil, não é mesmo? Pensando nisso, neste post, explicaremos o que é a amortização do financiamento, quais são os dois modelos disponíveis de abatimento e se é vantajoso usar o saldo do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) nessa operação. Vamos lá?

O que é a amortização do financiamento imobiliário?

Quando fazemos um financiamento, o valor é dividido em prestações, certo? Cada vez que o cliente quita uma dessas parcelas, ele está diminuindo o saldo total a ser pago — ou seja, amortizando a dívida.

Uma das formas de o comprador amortizar o financiamento imobiliário é ao quitar várias parcelas de forma antecipada, utilizando o FGTS ou o dinheiro proveniente de um rendimento extra.

Ao pagar as prestações antecipadamente, diminuem-se os juros a serem pagos e, consequentemente, o valor total da dívida. Essa prática se torna ainda mais eficiente quando são as últimas parcelas a serem pagas, encurtando o prazo do financiamento do imóvel.

No entanto, essa estratégia é indicada apenas em caso de estabilidade financeira. Por isso, não comprometa grande parte da sua renda no pagamento das prestações, pois é preciso ter uma reserva para lidar com eventuais imprevistos.

Como realizar a amortização?

Primeiramente, é necessário procurar a instituição bancária de sua preferência e solicitar a operação. Lembre-se de que é necessário atender a alguns pré-requisitos para realizar o procedimento.

O primeiro deles é que o modelo de parcelamento seja do tipo SFH (Sistema Financeiro da Habitação). Nele, é possível financiar imóveis de até R$950 mil nos Estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, e no Distrito Federal. Nas outras regiões do país, o limite é de R$800 mil.

Depois, é preciso escolher o tipo de amortização para o financiamento.

Quais são os tipos de amortização do financiamento imobiliário?

Tabela SAC

Quem opta pelo Sistema de Amortização Constante (SAC) paga as maiores prestações no começo do financiamento, porém tem a vantagem de os valores reduzirem posteriormente.

Para optar por essa tabela, recomenda-se atenção para não comprometer o orçamento e se endividar com os primeiros parcelamentos.

Sistema Price

Trata-se de uma das linhas de amortização mais populares no mundo, mas ainda pouco usada no país. Nesse plano, as parcelas são fixas e os juros estão concentrados nas primeiras prestações.

No Brasil, a taxa de juros desse modelo está vinculada à Taxa Referencial.

Como utilizar o FGTS para amortizar o financiamento?

Para utilizar o Fundo de Garantia na amortização, deve-se contar com, no mínimo, três anos — consecutivos ou alternados — sob o regime do fundo. Porém, caso já tenha utilizado esse recurso anteriormente, é necessário esperar durante um intervalo de, ao menos, dois anos para efetuar um novo resgate.

É preciso destacar, no entanto, que é preciso ter cuidado ao usar o FGTS, pois esse recurso tem como principal função proteger o trabalhador durante um eventual período de desemprego.

A amortização do financiamento imobiliário é uma prática extremamente benéfica aos indivíduos que desejam fazer o pagamento da casa própria de forma mais rápida e, consequentemente, com menos juros. Porém, esse procedimento deve ser realizado com cautela, pois não vale a pena dedicar uma grande parte do seu orçamento à quitação das prestações.

Gostou deste texto? Agora que você já sabe como funciona a amortização do financiamento imobiliário, aproveite para saber mais sobre o financiamento de imóveis.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Share via
Copy link
Powered by Social Snap