Como se organizar para abrir um novo negócio e mudar de vida?

Abrir um novo negócio e trabalhar por conta própria é o sonho de muita gente. Mas também há quem precise empreender por necessidade, em decorrência de crises econômicas e mudanças no mercado. Em qualquer um dos casos, bom planejamento financeiro e investimento inicial são essenciais para o sucesso do empreendimento.

Quem pretende começar um negócio do zero, deve prestar muita atenção a essas questões, para não assumir dívidas difíceis de arcar. A documentação é outro aspecto fundamental nesse planejamento, sobretudo para quem pretende trabalhar de casa, já que nem todo tipo de negócio permite esse tipo de alvará.

Abrir um novo negócio pode ajudar no seu crescimento profissional, além de elevar a sua qualidade de vida. Para não restar dúvidas a respeito dese assunto, separamos o que não pode faltar no processo de abertura, dicas sobre como utilizar o próprio imóvel para trabalhar e muito mais. Continue e planeje seu grande sonho!

O que é necessário para abrir um novo negócio?

Aqui estão os fatores indispensáveis para empreender dentro da legalidade e livre de riscos financeiros.

Análise de mercado

A primeira coisa a ser feita é uma análise criteriosa do mercado. O objetivo é verificar as atuais condições e perspectivas de crescimento do setor que você pretende atuar. Comece sua análise dimensionando esse nicho, descobrindo quantas empresas estão em atuação e o perfil dos clientes atendidos.

A partir disso, fica mais fácil saber a quem seu produto ou serviço se destina. Identifique se os negócios que já atuam na área conseguem atender as demandas da clientela e direcione seus esforços para suprir eventuais faltas. Isso pode servir para sua empresa se diferenciar no segmento.

Planejamento inicial

Um plano de negócios é imprescindível para que suas metas sejam cumpridas a curto, médio e longo prazo. Basicamente, o que deve ser feito nessa etapa é colocar no papel os objetivos do seu empreendimento, especificando os diferenciais do seu produto/serviço, a infraestrutura disponível e suas projeções de crescimento para os próximos anos. Um bom planejamento inicial deve incluir os seguintes itens:

  • descrição completa do projeto;
  • definição detalhada dos objetivos;
  • análise das perspectivas de mercado;
  • análise da concorrência e seus atributos;
  • identificação do público-alvo e suas demandas;
  • estratégias de captação do público;
  • logística de venda e pós-venda.

Investimento financeiro

Chegamos ao coração do empreendimento: a organização das finanças e o investimento inicial para abrir o negócio. Como vimos nas etapas anteriores, definir o orçamento e planejar os custos é imprescindível para não precisar fechar as portas depois. Devem ser considerados primordialmente os gastos com ferramentas, materiais e mercadorias, além dos custos para manter essas instalações por algum tempo.

Esse valor inicial é conhecido como capital de giro. Junto dele, é necessário ter uma reserva para bancar as despesas nos primeiros meses do negócio, momento em que empresa ainda estará se adaptando ao mercado. Esse dinheiro é crucial para manter tudo funcionando até que a empresa comece a ter faturamento suficiente para gerar lucro.

Documentação em dia

A documentação é outro fator importantíssimo para quem sonha abrir um novo negócio. Negligenciar essa etapa significa correr riscos com a legislação e ter prejuízo no futuro. Portanto, esteja muito atento ao que diz a lei e comece desde já a se preparar para emitir os documentos necessários, pois muitos deles levam um tempo até ficar prontos. Entre os principais, destacam-se:

  • Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ);
  • contrato social;
  • registro na junta comercial;
  • inscrição estadual;
  • alvará da Prefeitura Municipal.

Como utilizar o próprio imóvel para trabalhar?

Trabalhar utilizando o próprio imóvel como sede é uma tendência que vem ganhando cada vez mais força no mercado, sobretudo para quem deseja empreender individualmente pelo MEI, programa do Governo Federal para que os Micro Empreendedores Individuais possam se formalizar profissionalmente com uma carga tributária reduzida.

Além da redução nos custos tributários, trabalhando de casa é possível diminuir significativamente os gastos operacionais como aluguel e manutenções. No entanto, quem utiliza o imóvel para trabalhar precisa ter organização e disciplina em dobro, de modo a não dispersar durante o expediente e acabar comprometendo os ganhos.

Uma boa dica nesse sentido é começar a se organizar com base em uma rotina pré-estabelecida. O fato de não estar em um escritório ou ambiente corporativo não significa que não haverá horários definidos ou carga semanal para cumprir. Portanto, crie um ambiente que seja favorável para manter seu foco e concentração.

Além disso, mantenha-se atualizado quanto às tendências e demandas do mercado. Procure estudar e se capacitar sempre que possível, mesmo que seja por meio de cursos e consultorias online. Inclusive, trabalhando do próprio imóvel, fica mais fácil flexibilizar a rotina e ter tempo livre para se especializar.

Que tipo de negócio pode funcionar de casa?

Como sabemos, a legislação brasileira não permite abrir todo tipo de negócio em casa. Existem alvarás específicos para cada situação. No caso do Micro Empreendedor Individual, a licença é bastante abrangente e possibilita trabalhar no modelo home office em diversos segmentos. Em seguida, listamos algumas áreas em ascensão:

  • artesanato: os produtos criados em casa podem ser divulgados no tradicional boca a boca, em feiras do ramo ou por meio das redes sociais;
  • estética: o mercado da beleza tem demanda constante e permite prestar os serviços de casa ou em domicílio, atendendo no próprio bairro e arredores;
  • cozinha: o delivery de comida é bastante requisitado. Um bom nicho de atuação são os doces e também comidas saudáveis, como a culinária vegetariana;
  • organização de eventos: as reuniões com clientes e fornecedores podem ser feitas de casa sem comprometer o planejamento estratégico;
  • criação de apps e softwares: quem trabalha no ramo de tecnologia da informação também encontra um mercado amplo e favorável mesmo em home office.

Como o home equity ajuda quem vai abrir um novo negócio?

O home equity, também conhecido como Crédito com Garantia Imobiliária, é uma solução muito interessante para quem pretende abrir o próprio negócio ou mesmo renovar o fôlego para se reestruturar em tempos de crise.

Trata-se de uma modalidade de crédito em que o imóvel do solicitante entra como garantia. A propriedade continua sendo usufruída normalmente, porém, ela se mantém alienada ao banco durante o período contratual.

Esse tipo de empréstimo é bastante procurado por empreendedores e microempreendedores devido à praticidade e agilidade na concessão de crédito. As transações são livres de burocracia, e as taxas de juros são muito menores que as taxas de modalidades convencionais. Além disso, o prazo de quitação é mais amplo, e o solicitante tem total liberdade para usar o dinheiro conforme sua necessidade. 

Tenha o cuidado de contar com uma instituição de confiança para solicitar o empréstimo. O auxílio de consultores também pode ajudar bastante nessa hora, definindo o tipo de crédito compatível com seu perfil comercial e com os objetivos do empreendimento. Com uma consultoria especializada e um bom planejamento, abrir um novo negócio será muito mais fácil do que você imagina!

Gostou do post? Siga nossas redes sociais e fique por dentro de mais dicas como estas! Estamos no Instaram, Facebook e YouTube!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Close Bitnami banner
Bitnami